Informativos

Porque não se deve usar as perdas na fermentação como parâmetro de performance fixo

Normalmente as perdas na fermentação utilizadas como meta são baseadas na relação da massa perdida neste processo em função da massa de ART entrado na industria. Este parâmetro geralmente é fixo o que não deveria ocorrer, pois, esta perda depende do mix de produção. A Tabela 1 mostra esta variação.

Tabela 1. Variação da perda porcentual na fermentação em função do Mix de produção em açúcar.

Observa-se pelos dados contidos na Tabela 1. que para um mesmo rendimento fermentativo a perda porcentual na fermentação aumenta de 3,09 para 5,98% quando o mix de produção de açúcar diminui de 70 para 40%. Este fato ocorre porque quando se produz mais álcool mais ART é desviado para este processo elevando as perdas. Desta forma recomenda-se que o parâmetro de perdas porcentuais na fermentação seja flexível e seja ajustado de acordo com o mix de produção.

Outro ponto importante a ser discutido sobre este parâmetro é que quando se aumenta muito a produção de açúcar em detrimento à produção de etanol, o rendimento fermentativo tende a diminuir devido à presença de maior quantidade de substâncias infermentescíveis no mosto pela utilização de maior quantidade de mel na sua formulação. Uma avaliação destas perdas em função do rendimento fermentativo para um mesmo mix de produção de açúcar é feita na Tabela 2.

Tabela 2. Variação da perda porcentual na fermentação em função do Mix de produção em açúcar.

Observa-se pelos dados contidos na Tabela 3 que as perdas porcentuais de ART na fermentação aumentaram de 2,76 para 3,76% quando o rendimento fermentativo caiu de 91 para 88%.

Sendo assim, na composição deste índice deve-se levar em conta não somente o Mix de produção, mas também o valor de rendimento que pode ser atingido em cada unidade com base na matéria prima utilizada.

Voltar para Informativos